REMELA?


Não adianta negar, as remelas são uma realidade. Seja ao acordar pela manhã ou após um longo tempo sem lavar o rosto, eventualmente as encontramos no canto dos olhos. Apesar de o encontro com elas não ser agradável, as remelas são absolutamente normais. E, assim como todas as outras secreções que o corpo produz, é preciso ficar de olho nelas. Mas afinal de contas, a produção excessiva de remelas pode significar algum problema de visão?


O que é a remela?

Os olhos são lubrificados, protegidos e nutridos pelas lágrimas que são produzidas naturalmente o tempo todo. Elas são compostas por gordura, água e muco, sendo a primeira secretada por glândulas nas bordas das pálpebras. Enquanto os dois outros compostos saem da glândula lacrimal, na parte superior do olho. Todos esses compostos se misturam quando piscamos e o excesso deles é empurrado para o canto dos olhos. E é assim que se forma a remela: o acúmulo do muco, da camada oleosa e a sujeira acumulada.


Significa que os olhos são sujos?

A presença da remela não significa que os olhos são sujos, eles apenas estão. Sua presença em quantidades normais não indica nenhum problema de visão e para removê-las basta lavar o rosto com água. Se for o caso, existem produtos específicos para a higiene dos olhos. Mas antes de escolhê-los, procure a orientação do seu médico oftalmologista. Além de avaliar seus olhos, ele poderá recomendar a melhor forma de higienizar seus olhos.


Quando as remelas em excesso significam um problema de visão?

Quem está acostumado com as remelas pela manhã sabe quando elas aparecem em quantidades normais. Eventualmente, elas podem não aparecer, o que é normal. Mas se a quantidade e a coloração