O que é fotofobia?

A fotofobia é a sensibilidade à luz, ou seja, é a “intolerância” ou “aversão” à luz ou o desconforto provocado pela luz nos olhos, seja esta de origem natural (luz do sol) ou artificial (luz com origem na energia elétrica, por exemplo).

A sensibilidade à luz ocorre quando as células fotossensíveis da retina “não admitem” o excesso de luz, provocando desconforto ocular.


A fotofobia ocular, sensibilidade ou intolerância à luz, pode ser devida a várias doenças dos olhos, ou então, resultar apenas de uma maior “impressão” ou “irritação” com a luz, por parte de determinadas pessoas, como por exemplo as que possuem olhos claros.


As pessoas com olhos claros (cor clara, como o verde, o azul, o castanho claro) possuem uma maior sensibilidade a claridade nos olhos, devida a uma menor pigmentação. Estas pessoas em ambientes ao ar livre expostos à luz solar ou então em ambientes com luz artificial intensa, apresentam maior sensibilidade à luz. Este facto deve-se à diferença de pigmento dos olhos.


Os olhos escuros contêm mais pigmento que os olhos mais claros permitindo proteger os olhos da luz e consequentemente possuir uma sensibilidade menor que as pessoas com os olhos mais claros. Apesar de se tratar de uma condição perfeitamente natural, estas pessoas podem e devem proteger os olhos, como veremos mais tarde. As pessoas com maior sensibilidade à luz, por vezes, sentem-se incomodadas apenas pela luz brilhante. Em casos extremos, no entanto, qualquer luz pode ser irritante.


Uma fotofobia grave ou severa, raramente, se manifesta em olhos normais, caso não exista nenhuma doença subjacente. Em casos raros de pessoas com pupila aumentada (pupilas grandes) pode suceder maior sensibilidade à luz, pois quanto maior for a pupila mais luz atingirá a retina.



A fotofobia pode ser também provocada por diversas doenças dos olhos, como infeções, inflamações, alergias, entre outras, podendo o seu grau de severidade variar bastante de acordo com a patologia subjacente, o seu estado, etc. A fotofobia intensa possui, habitualmente, origem patológica.