O que é um derrame conjuntival?


A hemorragia subconjuntival é o tipo de “sangramento ocular” mais frequente, onde é evidente uma mancha de sangue “vivo” na parte branca do olho, podendo esta assumir vários tamanhos e formatos. A hemorragia subconjuntival pode ser causada pela tosse, pelos espirros, pelo esforço físico, por trauma ocular, por uma infeção ocular, entre outras razões.

O derrame ocular ocorre quando um dos vasos sanguíneos da conjuntiva rompe, provocando o que vulgarmente as pessoas apelidam de “sangue nos olhos”. A conjuntiva é uma camada fina que reveste as pálpebras internamente e a esclera (a parte branca dos olhos) onde podemos encontrar os estreitos vasos conjuntivais por onde flui o sangue. A esclera possui inúmeros vasos sanguíneos na sua superfície que apesar de invisíveis a olho nu, são numerosos e muito frágeis. Neste caso, o sangue no globo ocular ocorre no seu exterior não afetando, por isso, o interior do globo ocular e não interferindo, habitualmente, com a capacidade de visão.

Na hemorragia subconjuntival, o derrame de sangue ocorre, usualmente, devido à rutura espontânea ou, então, devido a pequenos traumatismos dos vasos conjuntivais, por fragilidade ou por pressão aumentada dentro deles.

A mancha de sangue no olho apesar de ter um aspeto que pode ser bastante desagradável, em muitas situações, não provoca habitualmente alterações na visão e de uma forma habitual, não existe dor ocular. O único desconforto causado pode ser uma sensação de ardor ou ardência nos olhos. As hemorragias conjuntivais são, habitualmente, autolimitadas, inofensivas e evoluem de uma forma favorável sem riscos e complicações.

Hemorragia subconjuntival - sintomas

A hemorragia subconjuntival pode ser acompanhada por alguns sinais e sintomas, adicionais como o ardor ou ardência nos